Fermento para Máquina de Pão: Qual usar?

Vira e mexe recebo perguntas a respeito do fermento usar na Máquina de Pão. Vou tentar responder às dúvidas mais comuns aqui, baseado na minha experiência prática.

O fermento é o responsável por fazer com que a massa cresça e o pão fique “fofo”. Isto ocorre quando porque o fermento produz gás carbonico que fica aprisionado na estrutura elastica do pão, formando as bolhas que vemos ao corta-lo.

Grosso modo, podemos dizer que existem 4 tipos de Fermento usados na panificação: Continue reading

Dicas Máquina de Pão: Fazendo pão toda semana

Na receita que publiquei aqui, você deve ter percebido que todas as medidas estão em gramas. Também já mencionei aqui o excelente livro da Editora SENAC, Pão: Arte e Ciencia. Se você quer se aprofundar na arte (e na ciência) de fazer pães, mesmo que usando uma máquina de pão, recomendo muito a leitura deste livro. Nele você vai aprender que fazer pão é diferente de cozinhar: as receitas devem ser seguidas a risca, com precisão de gramas. A razão disto é facilitar a reprodução da receita. Continue reading

Cerveja Caseira

Minha outra paixão é cerveja, também chamada de “pão líquido”, tudo a ver portanto com o título do blog e nada mais justo do que compartilhar o mesmo espaço.2013-04-05 22.39.03

Pretendo relatar aqui minha experiencia como cervejeiro (quem sabe um dia possa ser chamado de “mestre cervejeiro”), incluindo a montagem de equipamentos, emprego de técnicas e softwares para a criação de receitas.

Juntamente com mais 3 amigos, fundei a “Confraria do Galão”, uma associação que tem por objetivo estimular a produção caseira de cerveja em pequenas quantidades e em pouco Continue reading

Blog de Mudança

Pessoal, resolvi juntar várias paixões num lugar só. Também por questões profissionais este novo lugar servirá para exercitar meus conhecimentos técnicos e aprender ainda mais.

Anotem o novo endereço e atualizem seus bookmarks: http://www.migalhasdepao.com.br

Todos os artigos e comentários já foram transferidos para lá.

Devo desativar este blog em um mês.

Obrigado!

Receita de Pão Integral (para máquina de pão)

Fiquei surpreso de ter recebidos tantos comentários sobre a máquina de pão e a maioria pedia receitas. Bom, eu testei várias e ajustei algumas que já usava para fazer pão “na mão” para uso na máquina de pão. Essa receita é a que mais faço e o pessoal aqui de casa elogia sempre. É um pão integral que leva Ovos e Mel, não fica pesado nem farelento, cresce bem e fica macio. O cheiro do mel quando o pão está assando é fantástico! Continue reading

Opinião Final: Máquina de Pão La Baguete

Bom pessoal,

Depois de praticamente 2 anos usando a máquina todo mês e quase toda semana (em algumas 2 vezes), deixo aqui minha opinião sobre a máquina e algumas observações sobre o que acho importante avaliar no momento da compra.

1. Durabilidade

A máquina está funcionando muito bem, sem nenhum barulho ou cheiro estranhos. Os plásticos continuam com aparência de novos e os botões não desbotaram. O único comentário é que um dos pezinhos de borracha se soltou e o perdi.

2. Desempenho

Aqui uma certeza: não caia no “canto da sereia” sobre os dois batedores. Eles não sovam2013-05-01 19.20.34 melhor (faço pão na mão e posso dizer isso, comparando com o desempenho da minha máquina anterior que tinha um batedor só) e a massa fica sempre sobrando entre os batedores, não importa qual seja a posição dos batedores (alternados ou juntos), salvo em receitas acima de um quilo.
Mas existe uma vantagem: o formato do pão fica mais alongado, facilitando cortar em fatias “normais”. A máquina de um batedor, o pão fica mais alto e “curto”, lembrando um panetone.
Porém é quase impossível não ter que dar uma “ajudinha” com uma espátula para misturar todos os ingredientes direito. Se você sonha em adicionar todos os ingredientes de noite, programa-la para ter pão quente de manhã, esqueça: melhor ir direto no modelo mais simples, de um batedor. Cheguei a fazer isto com minha antiga britânia de um batedor e funciona.
Outra coisa que me lembrei é que com dois batedores, o pão fica com dois buracos em baixo (e se der azar na hora de tirar o batedor quando o pão estiver pronto, dois rombos!) e isto na hora de fatiar é um pouco chato, mas não é o fim do mundo.

3. Tamanho

A máquina é grande. Mas ela é mais jeitosa do que as outras por ser mais estreita. Pelo menos no meu armário, foi mais fácil acomoda-la por caber de lado ou de comprido, dependendo da prateleira, sem matar todo o espaço. A de um batedor, por ser mais larga (a forma é mais “quadrada”) é mais curta e larga, no meu caso, matava uma prateleira do armário (não cabia nada do lado).

4. Acessórios

Acreditem, ainda não tentei fazer baguettes! Faço pães para a família, durante a semana… precisa render por dias… ainda não achei disposição para fazer as 4 baguetinhas.
O copo e a colher medida são péssimos e já não os uso mais. Aliás consigo fazer a receita toda sem precisa sujar um talher sequer. Conto esse segredo num outro post.

Conclusão

Como essa era a única opção no Brasil de máquina para fazer pão mais longo e menos quadrado, não me arrependo. Mas o preço que paguei, certamente não compensa o produto final, pois por um terço do preço pago, fazia pães tão bons quanto.
Todas essas máquinas são importadas da China e são muito, mas muito parecidas (repare na disposição dos botões do painel) e portanto possuem características muito parecidas. Quem dera tivessemos uma Breadman, com pás que recolhem ou uma Kojirushi, totalmente programável…

Minha recomendação final é: não se impressione com a marca, com os acessórios ou com a propaganda. Pesquise e vá pelo preço mesmo (exigindo uma boa garantia, é claro).

Alô Mundo!

Tenho duas paixões: pão e cerveja (além de muitas outras que me lembrei agora depois que escrevi… :-)

Não tenho nenhuma grande pretenção aqui. Apenas a de relatar a minha aventura pelo mundo das artes da panificação e da cervejaria.